Adorar Deus Em Espírito e Em Verdade!

0
1448

“… os verdadeiros adoradores adorarão em espírito e verdade, pois tais são os adoradores que o Pai procura. Deus é espírito e aqueles que o adoram devem adorá-lo em espírito e verdade”, diz Jesus à Samaritana (Jo 4,23-24).

Neste nosso boletim deste mês de junho quero meditar com vocês sobre Adorar.

O que é que adorar? No sentido antigo do termo, é alguém que orienta seu desejo para a fonte de todo Ser. É a homenagem ritual prestada à divindade. Portanto, se queremos conhecer a fonte do nosso ser que é o Pai, Aquele que gera o mundo, nós temos que escutar o Espírito de Deus. A importância não está sobre esta montanha ou em Jerusalém, nesta igreja ou na outra, nesta paróquia ou na outra. O importante é estarmos conscientes no Sopro de Deus que nos habita e estarmos vigilantes, e despertos.

“Adorar em espírito e verdade”. “Espírito” (pneuma) para João significa o que pertence ao mundo celeste em contraposição ao mundo terreno. O homem terreno não tem, por suas próprias forças, acesso ao reino celeste (Jo 3,31). Deus só pode ser adorado como Pai por aqueles que possuem o espírito que os faz filhos de Deus, que os faz nascer do alto.

Para o encontro verdadeiro e autêntico com Deus é necessário que a força de Deus eleve o homem, faça dele uma nova criação, seja penetrado pelo Espírito de Deus. Por isso, a adoração em espírito não é o culto interior, espiritualista, individual, contraposto ao culto externo e público.

E “em verdade”. A adoração “em verdade” não se opõe à falsa adoração. “Verdade” é, para João, a realidade de Deus revelada em Jesus Cristo, nas suas palavras, nas suas ações, e na sua pessoa.

A verdadeira adoração do Pai pressupõe, por conseguinte, a acolhida da palavra de Jesus, a fé em Jesus uma busca constante de agir a partir de uma vida com Jesus e ter conduta autêntica de cristão.

O novo culto é verdadeiro porque procede da revelação de Deus em Jesus Cristo. Só com a revelação de Jesus, com a presença de Jesus, pode haver “verdadeiros adoradores”, porque os que creem em Jesus são regenerados pelo Espírito e vivem a relação com o Pai na atitude filial de Jesus.

Para que haja “verdadeiros adoradores”, é necessária a ação do Espírito que faz nascer “de novo, do alto” (Jo 3,3-8). A presença de Jesus acaba com o dilema sobre o lugar da adoração a Deus. Com ele vem a hora em que os lugares de culto do passado por mais veneráveis que tenham sido, vão perder sua importância. O verdadeiro culto de adoração começa a realizar-se em Jesus (cf. Jo 2,13-22 em que Jesus fala do seu corpo ressuscitado como o novo templo). O lugar onde se revela o Pai, o lugar do novo e verdadeiro culto é doravante e para sempre, Jesus Cristo, o único caminho para chegar ao Pai.

A nova adoração, que é expressa no futuro (adorarão) não será simplesmente a Deus, mas ao Pai, pelo Filho no Espírito e não está mais vinculada a lugares.

 

Pe.Emílio Carlos Mancini +

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui