QUARESMA : TEMPO DE PRATICAR A JUSTIÇA , A MISERICÓRDIA E A SOLIDARIEDADE

0
405

Iniciando o Tempo da Quaresma, o Senhor nos convida à prática da justiça, da misericórdia e da solidariedade. Ele nos convida à sincera conversão e quer que nós  rasguemos o “coração e não as vestes”.  O Senhor quer que nós nos voltemos para Ele, nosso Deus e Salvador.  Ele nos chama à conversão de maneira paciente, compassiva e misericordiosa.  O Senhor nos quer participantes de seu Reino e não coadjuvantes, por isso, devemos praticar as boas obras para ajudarmos o mundo a fazer o mesmo.  Dar a esmola, fazer penitência, rezar e jejuar é fazer o bem e a caridade para as pessoas necessitadas, sim , mas é além disso também:  É praticar a justiça, dar o que cada pessoa tem por direito, e também ser solidário, ou seja, estar ali, bem ao lado, como o bom samaritano que se compadeceu do homem ferido, tratando-o de maneira misericordiosa.  Viver a fé não é cumprir um monte de normas e regras.  É praticar o bem, a caridade, a justiça, a transformação.  É isso que Jesus nos ensina e espera de cada um de nós.  O tempo da Quaresma é um tempo de renovação interior e das atitudes tanto pessoais como comunitárias.  Ele é um tempo em que renovamos nossa vida batismal, para chegarmos ao seu ápice na celebração pascal.  É belo este tempo, pois nos coloca bem dentro da dinâmica do Reino, e por isso devemos ser nele participantes e não coadjuvantes.  O amor de Cristo nos renova, nos reergue na esperança, e nos faz viver com alegria.  O amor é transformador. O que Cristo nos ensina, nos liberta verdadeiramente.  É preciso, portanto, nossa conversão para nos “banharmos”  inteiramente do projeto de Cristo, de sua verdade libertadora.  Converter-se para o Evangelho, pois ele não é um livro ou simplesmente letras, mas uma PESSOA que se chama Jesus Cristo.  Viver a experiência dele é tornar-se discípulo do Reino, é assumir a mesma causa que Ele assumiu fielmente até o fim.  Dentro do tempo da Quaresma, a Igreja no Brasil nos faz refletir sobre o grave problema da agressão e do desrespeito à natureza criada por Deus.  Desrespeitar a criação é desrespeitar a vida, e isso tem grandes e graves conseqüências na vida do ser humano.  A Igreja aposta na vida e quem se opõe a esse dom sublime opôe-se ao próprio Deus.  De maneira consciente, façamos nossa parte no cuidado e no respeito à natureza, criatura de Deus.  Que este Tempo da Quaresma e da Campanha da Fraternidade, seja por nós vivido com amor e responsabilidade.    Que neste Tempo da Quaresma Deus nos conceda a graça de uma sincera e copiosa  conversão.

Fonte:  Liturgia  Diária .  Adequação e Conclusão – Professor  Alcides Trofini- Pastoral Litúrgica.

Deixe uma resposta