Evangelizar é preciso!

0
109

 

Começamos mais um mês: junho. Um tempo dos santos juninos (Antônio, João e Pedro) três homens que deram a vida pela causa do Reino, sem medir esforços, somente por amor a Cristo enfrentaram as ciladas do mundo, mas levaram a Palavra de Deus a todos com entusiasmo e ousadia.

Neles e em todos os santos, podemos encontrar nossa vida refletida em seus anseios, tristezas, alegrias, derrotas…, e acima de tudo, a convicção em Jesus Cristo como Senhor de nossa vida e a nossa missão de evangelizadores.

Buscar a santidade é um caminho natural na vida daqueles que vivem a Palavra de Deus no seu dia-a-dia, mesmo com todas as artimanhas que o mundo nos prega, ser capaz de respirar Jesus e seus ensinamentos. A sociedade que vivemos e fazemos parte dela, pois atuamos e somos cidadãos, quer convencer que seguir Jesus é para pessoas “anormais”. Eu digo com toda certeza, seguir Jesus é para pessoas normais, que conseguem entender o quão este Deus é transformador.

Vamos aproveitar, então, este último mês deste primeiro semestre de 2017 e refletir o que temos feito em nossas vidas para edificar, transformá-las em algo melhor, e as das pessoas com as quais convivemos. E se ainda temos algo para ir lapidar e por fim, concluir. Viver é tudo de bom, é uma batalha constante, mas com Deus e em comunidade, tudo se torna mais agradável, mesmo diante dos tombos. Deus é maior.

Comunidade? Sim, ela não é uma estrutura, uma concentração ou espaço geográfico. A comunidade, é um ambiente de fé onde se faz efetiva e real a salvação de Jesus. Ela consiste em vivermos unidos pelo vínculo do amor e por um objetivo comum: viver o Evangelho. Não está composta de santos e perfeitos, mas de pessoas que estão decididas a seguir em frente em seu processo de conversão.

A comunidade constituída de pessoas evangelizadoras, mostra ao mundo que existe uma melhor maneira de viver, não baseada nos critérios consumistas, capitalista ou de prestígio e de poder que regem nossa sociedade, mas num estilo de vida baseado nos valores do Evangelho. Isto é obra do Espírito Santo.

            Veja o exemplo de São João Batista, um profeta amigo da verdade e cheio de coragem. Em sua missão levanta o dedo e indica a passagem do mestre Jesus. Sem medo, denuncia as injustiças, o preconceito, acolhe as pessoas sofridas, discriminadas, exploradas por um sistema econômico e político injusto para o povo.

Devemos, então, despertar o João Batista que cochila em nós e, apontarmos, pelo menos, um dedo para indicar ao irmão (ã) o caminho da vida e apontar o Filho de Deus. O seu dedo pode ser tão firme e tão sadio quanto o de João Batista. Pode ser inclusive, mais bonito que o dele.

Venha viver em comunidade. Olhe como nossa paróquia está crescendo, está ficando cada vez mais madura na fé, isto significa, que nosso compromisso de cristão não para por aí, ele é para sempre! Agora, do que você tem dúvidas? Porque não assumir esta COMUNIDADE, DAR A VIDA, CONSTRUIR, PARTILHAR, VIBRAR, SORRIR, SOFRER, AMAR… POR ELA? Lembre-se: fora da comunidade não podemos crescer e perseverar na vida do Espírito.

Pare de fazer-se de difícil, seda aos encantos de Deus, assuma sua missão, partilhe os seus dons e carismas, não vegete, pois fomos criados para vida e servir uns aos outros. Olhe que o tempo passa! Não espere o amanhã para fazer o bem e viver com Cristo, pois este amanhã poderá não vir para você.

Deus Pai em seu plano maravilhoso quer transformar-nos em Jesus. Não se trata de que cada um de nós sejamos o outro Cristo, mas, sim, de que todos, unidos pelo Espírito Santo, manifestemos de forma visível o corpo de Cristo.

“Pois assim como em nosso corpo temos muitos membros, e cada um dos nossos membros tem diferente função, assim nós, embora sejamos muitos, formamos um só corpo em Cristo, e cada um de nós somos membros uns dos outros” (Rm 12, 4-5).

Que o Cristo nosso de cada dia nos ajude a sermos uma Paróquia evangelizadora, comprometida, de cristãos conscientes de sua missão.

 

 

Com as bênçãos generosas de Deus, Padre Marcelo Ap. Jolli

 

 

Deixe uma resposta