É preciso amar sempre.

0
368

Não conseguimos saber até onde pode chegar a maldade do coração humano: quanto ódio somos capazes de guardar em nossos corações. Quanto rancor, quantas fugas do amor! As profundezas do coração humano guardam grandes contradições. Ao contrário, todos nós sabemos onde pode chegar o amor e a misericórdia do coração de nosso Deus. As profundezas do coração de nosso querido Pai do céu é um infinito reservatório de amor e a contradição não encontra ali lugar para morar e criar raízes.

Assim sendo, não caiamos na indiferença, no ódio, na vingança, que humilham, na rotina que anestesia o ânimo e impede a novidade, uma vida cheia de emoção e crescimento. Não caiamos no cinismo que destrói e machuca muito.

Quem de nós não precisa curar o coração? E quem de nós já não teve o coração ferido pelo ódio, pela vingança, pelo afastamento da casa do Pai das misericórdias? Sejamos honestos: quem de nós não gosta de sentir um abraço do perdão, da acolhida e de ser chamado de filho? Como é bom e restaurador ser chamado de “meu filho”!

Com muita frequência somos convidados a usar ou ter misericórdia para com aqueles que de alguma forma nos ofenderam. Usar de misericórdia traz uma conotação de perdão, de reconciliação. No seu significado original, misericórdia significa trazer no coração a miséria, a limitação humana como caminho de identificação e de transformação do outro.

Quero que o outro seja diferente, tenha mais vida e dignidade. Por isso, é que chamamos Jesus de misericordioso. Ele foi o único que assumiu a nossa miséria humana e a transformou em vida de plenitude e de graça, fazendo-nos herdeiros de uma eternidade feliz. Assim nos proporcionou o Ano da Misericórdia para sempre: “Misericordiosos como o Pai” (Lucas 6,36).

Nossa vida é uma luta constante, mas vejo como uma arte de sobrevivência, nossas conquistas e derrotas são para nos tornar cada vez mais forte. Só em Deus e com Deus, somos mais que vencedores. Nele fizemos a opção certa, mesmo frente aos tropeços somos vencedores, Deus é maior.

Ao terminarmos neste próximo dia 20 às 10h, em comunhão com o Papa Francisco e nosso Bispo Paulo, o Ano da Misericórdia, assumamos para sempre uma vida plena em Deus, façamos em nós uma Igreja mais humana, solidária, compassiva, viva e misericórdia, mas isto depende de cada um, não só do outro.

Não podemos perder o essencial: a vida humana, sua relação com Deus, com o próximo e com a natureza. A necessidade de ser reconhecido na sua identidade (subjetividade) e de pertencer a uma comunidade, ter uma referência de grupo, na qual surgem as diferenças que, muitas vezes, se tornam desafios.

É na comunidade que aprendemos ser mais solidários e amar aos outros como irmãos. Compete a nós católicos desenvolvermos trabalhos cada vez mais envolventes e criativos para atingirmos maior número de pessoas. Somos responsáveis pelo anúncio da Palavra de Deus, onde quer que estejamos.

Então não deixe para amanhã o que você pode viver todos os dias: a santidade, a evangelização e o serviço. Busque amar Cristo, o nosso salvador, homem simples e verdadeiro. Seja fiel à sua Palavra, pois Cristo quer contar com você. E nossa Paróquia precisa da sua atitude: ser misericordioso como o Pai sempre.

Amados, teremos muita coisa boa neste mês de novembro, tudo para nos levar perto de Deus. Faça a escolha certa, organize-se e leve sua família para a caso do nosso Senhor, ela é nosso bem maior, mesmo frente as imperfeições fazer parte desta pequena Igreja Doméstica e cuidar dela é responsabilidade pessoal.

Desejo e muito, que sua família e vocês sejam lavados pela graça transformadora de nosso Deus, não é difícil, basta querer e confiar. Deus nunca nos decepciona. Veja nossa Família Paroquial, quantas coisas conquistamos ao longo desse ano e quantas ainda para fazer, só mesmo com dedicação para chegarmos até o fim. Meu muito obrigado. Sejamos felizes e cumpridores da Palavra de Deus.

Que este mês seja transformador para todos nós. Obrigado por você existir e fazer a diferença no mundo, em nossa Igreja e nossa comunidade. Somos em Deus, mais que vencedores. Eu confio em você.

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo. Para sempre seja louvado!

 

Com as bênçãos generosas de Deus,

Padre Marcelo Jolli

Deixe uma resposta