A participação da juventude nas atividades da Igreja

0
120

Essa premissa: “O futuro tem nome: juventude” quer comunicar a urgência de se investir na juventude. Entendemos que o futuro é possível na medida em que os jovens se engajam na construção de uma nova sociedade e de uma nova Igreja, hoje. Rejeitamos a ideologia que apresenta a juventude como futuro para desviar a atenção da importância do seu engajamento no presente. A juventude é o futuro, na medida em que está sendo o presente.

São João Paulo II, na Christifideles laici, retomou a riqueza do que o Concílio Vaticano II falou sobre a juventude, afirmando que a Igreja tem tantas coisas para dizer aos jovens, e os jovens têm tantas coisas para dizer à Igreja. Na sua mensagem aos jovens o Concílio diz: “A Igreja olha para vós com confiança e amor […]. Ela é a verdadeira juventude do mundo […]. Olhai para ela e nela encontrareis o rosto de Cristo”. (doc. 85 [1], par. 87).

Na jornada mundial da juventude aqui no Brasil em 2013, o Papa Francisco já havia dito aos jovens: “Coragem! Levem os valores da Igreja às “periferias existenciais” e aos indiferentes à religião, mas atenção, Jesus não disse: se vocês quiserem, se tiverem tempo, mas ‘Ide e fazei discípulos entre todas as nações’ (Mateus 28,19). ”

Frente a palavra de Jesus e dos pontífices, a Igreja do Brasil, da América Latina, do mundo tem se posicionado com muito amor à juventude que tem levado Jesus Cristo a todos os ambientes, de uma forma ímpar, comprometida com a missão dada por Jesus: Evangelizar de uma forma simples e eficaz.

A Igreja vê na juventude a constante renovação da vida da humanidade. Ela é o símbolo da Igreja, chamada a uma constante renovação de si mesma. Por isso, a Igreja, vem desenvolvendo, dentro da pastoral de conjunto, uma autêntica Pastoral da Juventude, educando os jovens a partir de sua vida, permitindo-lhes plena participação na comunidade eclesial. (doc. 85, par. 89).

As “mobilizações” juvenis dentro da Igreja sempre estiveram próximas ao coração dos pastores. Exemplo desse cuidado, dar-se-á também no Sínodo dos Bispos, dedicado aos jovens, entre 03 a 28 de outubro de 2018. Tendo como Relator Geral, o cardeal brasileiro Sergio da Rocha, arcebispo de Brasília e presidente da CNBB.

Jovens: tenham um coração jovem sempre; vão contra a corrente; apostem em grandes ideais; estejam com Deus em silêncio; rezem o Rosário; Façam barulho; aproximam-se da cruz de Cristo; sejam protagonistas das mudanças; sirvam sem medo; Sejam revolucionários, disse o Papa Francisco em várias colocações.

 

Com as bênçãos generosas de Deus,

Padre Marcelo Aparecido Jolli

Par. Santa Cruz – Matão

 

[1] Evangelização da Juventude – Desafios e perspectivas pastorais, CNBB – 85, São Paulo: Paulinas, 2007.

Deixe uma resposta